sábado, abril 28, 2018

IMAGINÁRiO #713

José de Matos-Cruz | 01 Maio 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004
 
PRONTUÁRiO

AMEAÇAS
Uma jovem de quinze anos, Liana acaba de saber que o pai é um fugitivo de outro mundo, e que ela própria se tornará herdeira de uma dinastia religiosa, alienígena. Aparentemente, Liana há-de converter-se no ente psíquico mais poderoso do universo - mas, entretanto, alguém se sentou no trono de Ovanan, fazendo-a vítima sem esperança de um governo corrupto, que pretende vê-la morta. Enquanto ela for viva, a Terra estará em perigo, pois os emissários de Ovanan tudo tentarão para eliminar Liana. Porém, se forem bem-sucedidos, as galáxias ficarão sob o controlo de um cruel tirano. Aliás, existe ainda uma terceira hipótese a envolver Liana, uma hipótese que ninguém seria capaz de prever, precipitando um futuro ainda mais terrível do que se imaginaria…
Sob chancela Image Comics, eis Sometimes… The Good Guys Loose! (1991) - mais um segmento fantástico, perturbador, de A Distant Soil. O argumento e a ilustração têm a assinatura de Coleen Doran - que também desenhou, em complemento, A World For Dreaming, uma aventura curta sob concepção de Jan Strnad, prestigiado artista de animação e quadradinhos.


CALENDÁRiO

1932-31DEZ2017 - José Manuel Soares: Artista português, «tão ilustre pintor como autor de vasta obra pela Banda Desenhada». http://bloguedebd.blogspot.pt

01FEV-17MAR2018 - Em Lisboa, Galeria Vera Cortês expõe Intrínseco - instalação de Vhils / Alexandre Farto. IMAG.515-534

03FEV-04MAR2018 - No Centro Cultural de Cascais, Fundação D. Luís I expõe Do Ver ao Olhar, Retratos de João Alvim.

COMENTÁRiO

José Manuel Soares
A elegância de forma e a harmonia cromática […] caracterizam a [sua] obra… Pintor de renome, mestre da aguarela, José Manuel Soares distinguiu-se também no género realista, em quadros históricos que enriquecem museus e aventuras aos quadradinhos de suave beleza que encantaram as leitoras e os leitores de revistas juvenis como a Fagulha e o Cavaleiro Andante.

CASAMENTO ESCANDALOSO


Em Casamento Escandaloso (1940) - uma das mais populares e amadas comédias românticas, dos anos gloriosos de Hollywood - George Cukor, considerado um realizador de mulheres, coloca Katharine Hepburn entre Cary Grant - após dirigir ambos em Sylvia Scarlett (1935) e A Irmã da Minha Noiva (1938) - e James Stewart, assim especulando uma cumplicidade carismática, pelos equívocos que celebraram a peça de Philip Barry. Hepburn conhecia-a bem, após a sua representação na Broadway, tendo adquirido os direitos. Há dois anos ausente das telas, a diva impôs Cukor e os seus comparsas à MGM, para um regresso triunfal. Claro, Hollywood rendeu-se, porém a Academia trocou-lhe as voltas, quanto à consagração dos Oscars: distinguidos foram Stewart e um outro, o argumentista Donald Ogden Stewart.
Um pouco como acontece na história, pelo menos até às consequências. Hepburn é uma jovem e bela divorciada da melhor sociedade de Filadélfia, que prepara mais um casamento. Para atrapalhar, o ex-marido Grant, sedutor e ainda apaixonado, aparece como convidado e faz-se acompanhar por Stewart, repórter de uma revista de sensação, pouco amistoso em relação à gente da alta. As peripécias subsequentes levam o noivo a suspeitar, fazendo chantagem sobre os sentimentos e ambições de Hepburn. Resoluta, ela larga-o, mas acaba por desfazer as expectativas do rendido Stewart, optando por um novo enlace com Grant… Entre disfarces e cenários, Cukor celebra a primazia da representação e o privilégio das vedetas, transfiguradas sob o artifício das cintilações. Pelo meio, desfazem-se preconceitos, desvendam-se ousadias - sempre com elegância e ironia, quanto à subversão de um destino convencional.

MEMÓRiA

1854-01JUL1929 - Wenceslau José de Sousa de Moraes, aliás Wenceslao de Moraes: Escritor português, oficial da Marinha - «Nos filhos d’homens macaenses casados com mulheres japonêsas, é que muitas vêzes se nota o phenonemo do idíoma portuguez, circunstancia que vem corroborar a enorme importancia, sobejamente conhecida, da influencia materna na educação da família… Afastados por longos annos da Patria, sem nunca haverem visitado, (com excepção de uns dois) o nosso Portugal europeu, vivem em geral pouco interessados com o que vae pela metropole; mas guardando, latente, um louvável orgulho nacional, pronpto a manifestar-se quando a circustancias o reclamem. Na resente passagem pelo porto de Kobe, do nosso cruzadôr S. Gabriel, o enthusiasmo dos macaenses, foi sincero e caloroso… Se um dia os portugueses da Metropole pensarem em estreitar intimamente os seus laços de commercio com a China e com o Japão, encontrarão na colónia macaense um auxilio poderoso.» (Relatório - 13JAN1912).  
IMAG.5-16-32-49-101-233-468-648

02JUL1869-1941 - Hjalmar Emil Fredrik Söderberg, aliás Hjalmar Söderberg: Escritor e jornalista sueco, autor de O Doutor Glas (1905) - «Existem coisas em que se tem de ser especialista, para não as compreender… Eu acredito no prazer da carne e na irremediável solidão da alma». IMAG.423-509

1905-02JUL1969 - Mikio Naruse: Cineasta nipónico - «Desde tenra idade, considerei que o mundo em que vivemos nos trai; essa sensação continua sempre presente em mim». IMAG.235-527

05JUL1889-1963 - Jean Maurice Eugène Clément Cocteau, aliás Jean Cocteau: Poeta e ficcionista francês, dramaturgo, cineasta e artista plástico - «A arte existe no instante em que o artista se afasta da natureza… O estilo é uma maneira muito simples de dizer coisas complicadas».  
IMAG.212-264-326-388-438-593

05JUL1899-1974 - Marcel-Augustin Ferréol, aliás Marcel Achard: Comediógrafo e argumentista francês - «A mulher raras vezes entende que, amá-la eternamente, não significa amá-la sem interrupção durante tanto tempo». IMAG.481

1898-05JUL1969 - Thomas Leo McCarey, aliás Leo McCarey: Cineasta americano, produtor, realizador e argumentista - «Fico satisfeito quando provoco uma gargalhada. Gosto de fazer as pessoas rirem até às lágrimas. Adoro histórias em que se conte algo. Agrada-me que as pessoas se sintam mais felizes quando saem, do que quando entraram na sala de espectáculos».  
IMAG.197-233-377-613-677

1893-06JUL1959 - Georg Ehrenfried Groß, aliás George Grosz: Pintor e ilustrador alemão - «O culto da individualidade e da personalidade, que alguns pintores e poetas assumem, apenas para se promoverem, não passa de uma táctica comercial. Quanto maior é o génio da pessoa em causa, maior é o seu preço de mercado». IMAG.362-428

1922-06JUL2009 - Alfons Figueras i Fontanals, aliás Alfons Figueras, aliás Alfonso: Argumentista e ilustrador espanhol de banda desenhada, criador de Aspirino y Colodión - «O público gosta de rir e, em geral, não tem consciência do terror que pende sobre a sua cabeça». IMAG.260-390

07JUL1899-1983 - George Dewey Cukor, aliás George Cukor: Cineasta americano - «Ninguém será capaz de atingir qualquer espécie de sucesso, se, ao mesmo tempo, não estiver preparado para aceitar um malogro».  
IMAG.179-225-274-290-404-705

RELATÓRiO

O Doutor Glas
Hjalmar Söderberg é um nome que provavelmente não dirá nada a ninguém. E no entanto a obra-prima deste autor sueco já tem mais de um século, foi publicada em 1905.
O Doutor Glas é um romance narrado na primeira pessoa. É o diário de um médico solitário de trinta e poucos anos. Um homem que não se relaciona facilmente com as mulheres. Até que um dia lhe aparece no consultório Helga, a senhora Gregorius, jovem esposa de um pastor protestante.
Helga não está doente, está desesperada. «Não sei como exprimir-me. Aquilo que pensava pedir-lhe é muito fora do comum. E talvez não se adeque à sua ideia de justiça. Não sei o que pensa deste género de coisas. Mas há em si qualquer coisa que me inspira confiança, e não conheço ninguém mais que possa ajudar-me e a quem eu possa falar do assunto. O que lhe pergunto é se não poderia falar com o meu marido, doutor. Se não poderia dizer-lhe que tenho uma doença, uma infeção no útero, e que ele terá, por isso, de se abster dos seus direitos, pelo menos por algum tempo».
O Doutor Glas vai achar o pedido justo mas o pastor Gregorius, um homem que o médico despreza, há-de continuar a reclamar os seus direitos.
O crescente envolvimento do Doutor Glas com a senhora Gregorius vai fazer surgir dilemas morais, como o de saber se é legítimo livrar a bela Helga do seu desprezível marido.
O romance escandalizou a Suécia do início do século XX, tratando abertamente as questões do sexo, do aborto e do direito de decidir sobre a vida e a morte de alguém. Um romance que continua perturbante mais de um século de ter sido escrito.

VISTORiA

Fixa-se a nossa atenção nas paredes revestidas de trabalhoso mosaico, nas incrustações de madrepérola dos portaes, nas allegorias do culto, no portentoso Budha, feito de uma só esmeralda de três palmos de altura, de valor inestimável. Ergue-se mais além o palácio real, n’uma elegantíssima fachada, cujo único senão está no mau gosto da sua arquictetura europea, sob um telhado, rendilhado em mil corujas, de pura feição indígena. Profusão de flores e de arbustos viçosos. Grande elephantes doirados, em pedestaes de mármore.
Wenceslao de Moraes
- Em Bangkok - Traços do Extremo Oriente

GALERiA


José Manuel Soares – Zeca
(in Mundo de Aventuras - 392 a 403)

Sem comentários:

Enviar um comentário