sexta-feira, março 30, 2018

IMAGINÁRiO #709

José de Matos-Cruz | 01 Abril 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004


PRONTUÁRiO

RECRIAÇÕES
Avigon tem um problema. Vive encerrada num universo gótico, onde os andróides são vendidos como gado, nuvens sombrias ocultam o sol, e os rios escorrem negros como óleo. Avigon tem vontade de evadir-se - mas como, e para onde? Avigon está num dilema. A sua mente vagueia por dimensões para além da imaginação, o seu espírito revela-se a verdades mais profundas que os segredos recônditos. Avigon precisa de encontrar um caminho - mas por que preço? O destino virtual de Avigon é uma cidade estranha e distante. Porém, logrará Avigon assumir uma nova existência, e um futuro auspicioso, evitando que as suas nefastas origens acabem por lhe destruir todas as expectativas? Aparecida em 2001, sob chancela Image Comics, Avigon - concebida por Che’ Gilson (argumento) & Jimmie Robinson (ilustração) - desvenda-nos um universo estilizado e surreal, influenciado pelo onirismo visionário do cineasta Tim Burton. Segundo Gilson, trata-se de «uma fábula pós-industrial, em que os mitos e as lendas resistem, precariamente, a uma recriação massiva. Avigon é um símbolo do seu mundo. A rainha quer corrompê-la. O próprio criador tenta controlá-la, enquanto os políticos fazem tudo para a destruir…»

CALENDÁRiO

15JUN2017-14JAN2018 - Em Bragança, Centro de Arte Contemporânea Graça Morais apresenta A Coragem e o Medo - exposição de pintura e desenho de Graça Morais, sendo curador Jorge da Costa. IMAG.65-68-139-305-318-448-621-693

16NOV2017-20JAN2018 - Em Lisboa, Galeria Vera Cortês expõe 2 Desenhos, 2 Esculturas de José Pedro Croft. IMAG.427-539-641-670

23NOV2017-06JAN2018 - Em Lisboa, Galeria Filomena Soares expõe Saga de Pedro Barateiro. IMAG.349-556

25NOV2017-13JAN2018 - Em Lisboa, Galeria Carlos Carvalho apresenta Paisagem Instável - exposição de desenho, pintura, escultura e instalação de Catarina Leitão.
12DEZ2017-20JAN2018 - Em Lisboa, Fundação Portuguesa das Comunicações expõe (Podemos Sempre Fugir de Carro) de Luísa Jacinto.
13DEZ2017-17FEV2018 - Em Lisboa, Kunsthalle Lissabon expõe Indexing Water de Irene Kopelman (Argentina).

1950-02JAN2018 - Maria Margarida Gouveia Vaquinhas, aliás Guida Maria: Actriz portuguesa de cinema, teatro e televisão - «Perfeccionista, expressiva e desinibida, sem nunca roçar a vulgaridade» (Ana Sousa Dias). IMAG.696

06JAN-21FEV2018 - Em Lisboa, Ermida de Nossa Senhora da Conceição apresenta Luz Cega - exposição de fotografia de Cláudio Garrido.

09JAN-24FEV2018 - Em Lisboa, Casa da Liberdade - Mário Cesariny apresenta FotoFonias LusoGráficas - exposição de fotografia da Colecção Lusofonias/Colectivo Multimédia Perve, incluindo obras de André de Castro, Cabral Nunes, Fernando Lemos, José Chambel, Mário Macilau, Rodrigo Bettencourt da Câmara, Rui Simões, Sérgio Guerra, Sérgio Santimano, Subodh Kerkar ou Suekí.

12JAN-25MAR2018 - No Centro Cultural de Cascais, Fundação D. Luís I expõe Belas Artes da Academia - Uma Colecção Desconhecida - selecção de pintura e escultura da Academia Nacional de Belas Artes, desde o início do Século XX até ao presente.

PARLATÓRiO

A única certeza é que nada é certo. Pasma, vermos até onde pode chegar a arrogância do coração humano, estimulada pelo menor êxito. A maior parte dos males que ocorrem ao homem é provocada por ele próprio… Do que não se pode alcançar, baste-nos que o tenhamos desejado.
Gaius Plinius Secundus, aliás Plínio, o Velho

VISTORiA

eu ontem tive a impressão
que deus quis falar comigo
não lhe dei ouvidos
quem sou eu pra falar com deus?
ele que cuide de seus problemas
que eu cuido dos meus
Paulo Leminski
- Distraídos Venceremos

A chuva deixara os boulevards quase vazios, e só restava gente agrupada no café envidraçado onde, havia meses, não a deixavam entrar.
Sonia, de pé no vestíbulo da casa vazia, viu que a chuva passava, fatigada, a manso chuvisco, viu-a cessar enquanto aumentava o frio do vento, e pensou que aquilo era sinal de boa sorte. Um pouco mais longe, do outro lado do amplo passeio, as luzes da cidade começavam a acender-se. A noite tinha início, e, respirando o aroma tristonho de seu casaco molhado, Sonia pensou que também a esperança tinha início. Sorriu, sem realmente acreditar, como uma menina a quem contaram uma história já ouvida e inverosímil.
Apalpou novamente a crespa peruca loira e com grande cuidado – tinha as unhas muito compridas – foi esticando as meias ensopadas presas pelas ligas.
Sentiu fome de novo, e lembrou-se que tinha uma sanduíche de presunto no bolso. Mas não podia estragar o desenho da boca que fizera com bâton, e com tanto cuidado. Também se lembrou que, até o fim do mês, estava em ordem com a polícia e obrigou-se a caminhar, aproximando-se da beira das calçadas para sorrir para os carros, rebolar e parar, fingindo procurar alguma coisa na bolsa enorme. Mas nada, ninguém, e ela sem dinheiro para tentar a sorte em bares onde ainda a deixavam entrar.
Era noite e, depois, madrugada no bairro sujo da grande cidade. E Sonia, já sem fome, quase sem esperança, continuava a caminhar sobre a dor dos sapatos de salto agulha.
Juan Carlos Onetti
- Amanhã Será Um Outro Dia (excerto)
MEMÓRiA

01JUN1909-1994 - Juan Carlos Onetti Borges, aliás Juan Carlos Onetti: Ficcionista uruguaio, distinguido com o Prémio Cervantes (1960) - «Alguém inventou para mim o termo e o destino de escritor comprometido. Estou inocente. O único compromisso que aceito é a persistência em escrever bem e melhor, e de tratar com sinceridade a vida que me coube conhecer e as pessoas condenadas a converter-se em personagens dos meus livros». IMAG.229-263-467

1925-02JUN2009 - Glória de Sant’Anna: Poetisa, ficcionista e professora portuguesa - «Aquilo a que poderíamos, sem exagero, chamar a sua glória, nada tem de ruidoso… Foi sempre uma personagem de um pudor e retiro exemplares» (Eugénio Lisboa - 1988). IMAG.253-516

1936-03JUN2009 - John Arthur Carradine, aliás David Carradine: Actor americano, filho de John Carradine, protagonista da série televisiva Kung Fu (1970) e dos filmes Kill Bill (2003-2004) - «Muitos actores passam a maior parte do tempo a treinar a sua arte. É algo que não se passa comigo. Limito-me a representar para o público, e a deixar as coisas acontecerem».
IMAG.20-253-590

06JUN1599-1660 - Diego Rodrigues da Silva y Velázquez, aliás Diego Velázquez: Pintor espanhol e retratista, do barroco contemporâneo, principal artista da corte de Filipe IV - «Uma mulher não é um ser humano, é a razão dos seres humanos».

1944-07JUN1989 - Paulo Leminski Filho, aliás Paulo Leminski: Poeta e ensaísta brasileiro - «Quando eu vi você / tive uma idéia brilhante / foi como se eu olhasse / de dentro de um diamante / e meu olho ganhasse / mil faces num só instante.» (Amor Bastante). IMAG.480

07JUN1899-1973 - Elizabeth Dorothea Cole Bowen, aliás Elizabeth Bowen: Ficcionista anglo-irlandesa, autora de A Casa Em Paris (1935) - «Uma pessoa não pergunta a si mesma – ‘o que estou eu a fazer?’ – porque sabe. Mas aquilo que uma pessoa pergunta a si mesma – ‘o que fiz eu?’ – jamais o saberá.». IMAG.653

ANUÁRiO

23-79 - Gaius Plinius Secundus, aliás Plínio, o Velho: Naturalista romano - «A diversidade de copistas, e os seus comparativos graus de habilidade, aumentam consideravelmente os riscos de se perder a semelhança com os originais. As ilustrações são propensas ao engano, especialmente quando é necessário um grande número de tintas para imitar a natureza».
IMAG.209-448

BREVIÁRiO

Guerra & Paz edita, com Inatel, Francisco Ribeiro - “Ribeirinho” (1911-1984) de Ana Sofia Patrão. 
IMAG.63-94-95-164-175-224-229-339-454-457-458-501-635

Dom Quixote edita As Oito Montanhas de Paolo Cognetti; tradução de Maria do Carmo Abreu.

EXTRAORDINÁRiO

OS HUMANIMAIS - Folhetim Aperiódico

BUÇO COM LEITE MANCHA O COLETE - 12

Entretanto, Eustacio Ferreira reconhecera o Remexido, um perigoso assassino, em vias de regeneração. Inquieto, em escrúpulo, veio a encontrá-lo no Hospital de Rilhafoles, prestes a exalar o último suspiro. Porém, o facínora ainda lhe disse, em tom de saudade profunda:
- Ah, Seu Ferreira, parece que já não me torna a prender…
Continua

quinta-feira, março 29, 2018

Imaginário-Médio: newsletters de Setembro 2014

Entramos na proverbial recta final para a conclusão da recuperação das newsletters antigas no blogue Imaginário-Médio, faltando dessas carregar apenas quinze posts e, assim, encerrar este projecto, no espaço de cinco semanas. Até lá, esta semana disponibilizamos as newsletters #481, #482, #483 e #484, acessíveis nos respectivos links.


domingo, março 25, 2018

IMAGINÁRiO #708

José de Matos-Cruz | 24 Maio 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004


PRONTUÁRiO

EVOLUÇÕES
O cinema de animação americano recuperará, alguma vez, o empolgamento, a magia e o maravilhoso que atingiu, por final dos anos ’30 do século passado, com os Estúdios de Walt Disney? Trata-se duma questão aparentemente imponderável - pois o progresso tecnológico, e uma contínua mutação dos requisitos artísticos, abriram excepcionais expectativas à exploração de temas apaixonantes - como fez história Toy Story - Os Rivais (1995) de John Lasseter, primeira animação longa sob o signo Disney, integralmente gerada por computador. Ao prodígio electrónico correspondia o fascínio aventuresco - pela mística dos heróis, em crise num imaginário trepidante e inteligente, emocionante e divertido. Suscitando uma serialização de Toy Story, que consolidou a aliança entre a Disney e a Pixar - pela qual se exploram todas as virtualidades da sofisticação em CGI, e respectivas vanguardas estéticas: uma fusão visionária entre a pesquisa tridimensional, e os efeitos qualitativos de textura, detalhe, luz e cor. Atributos em que a Pixar foi pioneira, com Os Rivais - e é justo realçar o aval de Thomas Schumacher, outro nome determinante na Disney, para superar os meios tradicionais de execução no vínculo apelativo ao artifício/artesanato. Justamente, Toy Story - Os Rivais valeu a Lasseter um Oscar especial, pelo contributo para o êxito da indústria, no domínio animatográfico. IMAG.80

CALENDÁRiO

26OUT-30DEZ2017 - Em Lisboa, Arquivo Fotográfico Municipal expõe [Ante]Câmara - Elenco, Retrato e Cenas Teatrais.

23DEZ2017-15FEV2018 - Em Lamego, Zona - Residências Artísticas apresenta, por iniciativa ZigurArtists, Depósito de Uma Natureza Activa - exposição visual de João Pedro Fonseca.

VISTORiA

Levem-me

Levem-me numa caravela,
Numa velha e doce caravela,
Na proa, ou se quiserem, na espuma,
E me percam, longe, longe.

No elo de uma outra era,
No veludo ilusório da neve,
No fôlego de alguns cães reunidos,
Na multidão de cansadas folhas mortas.

Levem-me sem me quebrar, nos beijos,
Nos peitos que se erguem e respiram,
Sobre os tapetes das palmas e seu sorriso,
Em corredores de longos ossos, e articulações.

Levem-me, ou melhor, enterrem-me.
Henri Michaux
- Mes Propriétés (1929)
(Revista Cisma - 2014)
Filho

Nicolau, menino, entra.
Onde estiveste, Nicolau,
que trazes a arrastar
o teu brinquedo morto?

Nicolau, menino, entra.
Vem dizer-me onde foi que tu estiveste
e a estrela fugiu das tuas mãos.

Tens comigo o teu catre de lona velha.
Deita-te, Nicolau, o fantasma ficou lá longe.

Dorme sem medo.
Porão, roça, medos imediatos,
tudo ficou lá longe.

Quando acordares a jornada será mais longa.
Nicolau, menino,
onde foi que deixaste
o corpo que te conheci?
Deus há-de querer que o sono te venha depressa
no meu catre.
Baltazar Lopes / Osvaldo Alcântara

VISTORiA

É que nessa noite, sonhou que a Santa Teresinha, sob a forma de uma menina loira com cabelos encaracolados, lhe dissera: «Porque não foste ter comigo no último domingo?» E a jovem Santa parecia exactamente a sua própria filha que imaginara há anos. E ele que não tinha filha nenhuma! E, no sonho, dizia à Santa Teresinha: «É assim que falas comigo? Esqueceste-te que sou o teu pai?» A Santa Teresinha respondia: «Desculpa, pai, mas faz-me um favor e vem ter comigo depois de amanhã, no domingo, à capela de Ste Marie des Batignolles».
Joseph Roth
- A Lenda do Santo Bebedor
(excerto - Tradução de Álvaro Gonçalves)
PARLATÓRiO

Creio que empreendi o caminho correcto - primeiro dediquei-me à experiência prática, cantando e tocando instrumentos, e só depois me devotei à composição…
Franz Joseph Haydn

MEMÓRiA

24MAI1899-1984 - Henri Michaux: Escritor e artista belga, poeta e pintor, naturalizado francês (1955), autor de Capturar / Saisir (1979) - «Com sinais capturar uma situação, que maravilha! Que transfiguração!». IMAG.704

25MAI1919-1995 - Fernando Teixeira Curado Ribeiro, aliás Fernando Curado Ribeiro: Artista português, de cinema, teatro e rádio - «Actores, há muitos - mas senhores actores, como ele, infelizmente existem poucos. Era um homem de bom humor, que amava a vida e morreu rapaz» (Varela Silva). IMAG.44-228-574

1894-27MAI1939 - Moses Joseph Roth, aliás Joseph Roth: Escritor austríaco - «Sim, ansiava pelo mar, nas profundezas do qual cresciam, ou antes – como ele pensava – moviam-se os corais. Não havia, em parte alguma, ninguém com quem pudesse desabafar sobre a sua saudade, tinha de a trazer fechada dentro de si, tal como o mar abrigava os corais.» (O Leviatã).

1907-28MAI1989 - Baltazar Lopes da Silva, aliás Osvaldo Alcântara: Poeta, ficcionista e linguista cabo-verdiano, autor de Chiquinho (1947) e Os Trabalhos e os Dias (1987) - «Eu estarei de mãos postas, à espera do tesouro que me vem na onda do mar… / A minha principal certeza é o chão em que se amachucam os meus joelhos doloridos, / mas todos os que vierem me encontrarão agitando a minha lanterna de todas as cores / na linha de todas as batalhas.» (Ressaca - excerto). IMAG.607

1732-31MAI1809 - Franz Joseph Haydn: Compositor austríaco - «Sempre ouvi mais do que estudei. Assim, pouco a pouco, os meus conhecimentos e capacidades foram-se desenvolvendo… Também, nunca me tornei muito rápido a criar. Sempre escrevi cuidadosa e meticulosamente».
IMAG.40-219-228-240-269-271-272-273-275-276-282-285-295-296-322-349-364-407-440-472-544-589-605-680

ANUÁRiO

1734-1819 - José Monteiro da Rocha: Matemático e precursor da moderna astronomia portuguesa, autor de Memória Sobre a Determinação das Órbitas dos Cometas (Academia Real das Ciências de Lisboa - 1782) - «Lá fora o [seu] trabalho nunca chegou a ser conhecido, mas, se o tivesse sido, poder-se-ia hoje ter também o nome deste português a par do alemão [Wilhelm] Olbers, como sendo os primeiros inventores de um método prático para a determinação das órbitas parabólicas dos cometas» (Fernando Figueiredo - autor de José Monteiro da Rocha e a Atividade Científica do Observatório Astronómico e da Faculdade de Matemática de 1772-1820 - Coimbra, 2011). IMAG.462

BREVIÁRiO

Dom Quixote edita Em Viagem Pela Europa de Leste de Gabriel García Márquez (1927-2014); tradução de J. Teixeira de Aguillar.  
IMAG.13-224-261-294-391-509-601

Assírio & Alvim edita Poesia de Mário Cesariny (1923-2006); organização de Perfecto E. Cuadrado.  
IMAG.17-19-20-29-66-123-179-430-442-475-486-505-537-582-587-641-647-657-669-693

Warner edita em CD e DVD, Fantaisies de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) e Robert Alexander Schumann (1810-1856) pelo pianista Piotr Anderszewski.
IMAG.36-55-68-90-102-105-106-118-172-186-194-203-205-216-217-220-227-233-268-277-278-284-285-290-301-317-321-341-342-344-349-365-375-406-418-431-449-458-475-500-503-509-534-547-572-589-597-605-640-666-667-686-688-703

Companhia das Letras edita Benjamim de Chico Buarque.  
IMAG.74-103-166-258-596

EXTRAORDINÁRiO

OS HUMANIMAIS - Folhetim Aperiódico

BUÇO COM LEITE MANCHA O COLETE - 11

Ali inquilino eventual, Euzebio Serra susteve-o com um empurrão. O Cunha reagiu à esquerda, e enviou-lhe uma facada. Com tal força que, aparando-a o dito Remexido com o braço direito, o ferro lho varou de lado a lado, até atingir ao peito. Logo, o Cunha foi esconder-se no Jardim de Santos, entre umas dálias, onde o guarda Número 39 de 3ª Esquadra lhe deitou a mão.
Continua

sábado, março 24, 2018

Imaginário-Médio: newsletters de Agosto 2014

A contrariar o temporal da semana, o blog Imaginário-Médio está em pleno verão, tendo entrado no mês virtual de Agosto 2014, disponibilizando os newsletters #477, #478, #479 e #480, que assim aproxima a recuperação destas newsletters previamente inéditas do seu final, dentro de um mês.

quinta-feira, março 22, 2018

IMAGINÁRiO-Extra: ORION – Fanzine de Ficção Científica

Um grupo de entusiastas da sci-fi, oriundos de diversas áreas criativas, correspondeu ao desafio de Renato Abreu, colaborando no novo e-zine Orion. Assim convergem diversas expressões artísticas – através de mini-contos, bandas desenhadas curtas, galerias de ilustração e uma secção crítica – com a participação, liderada por Renato Abreu, de Daniel Maia, José de Matos-Cruz, Nuno Russo e Sofia Guilherme Lobo. Estando prevista uma versão em papel, Orion pode ser lido online na Yumpu e, pela minha parte, tive o privilégio de Renato Abreu ilustrar Estremece o Convento, Com Vento Nas Entranhas – uma narrativa breve, da série ficcional Os SobreNaturais.

Desenho de Renato Abreu

segunda-feira, março 19, 2018

IMAGINÁRiO #707

José de Matos-Cruz | 16 Maio 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

FASCÍNIOS
Algures, ao virar de uma esquina, roçando apenas o que é perceptível, existe um mundo com que nem poderíamos sonhar… Um mundo onde criaturas estilizadas pelos mitos antigos, e deuses que há muito se supunham mortos, caminham pelas ruas sobrepovoadas de Manhattan. E onde as mais belas fadas-donzelas bailam solitárias, durante toda a noite, banhadas por um cálido luar. Onde cada sombra guarda um segredo, e onde todos os segredos têm um preço. Onde perigos e maravilhas se desvendam, caso nós - os precários humanos - saibamos olhar!
Eis o mundo fascinante e trágico de Aria (1999) - concebido por Brian Holguin e imaginado por Jay Anacleto - sob chancela Image Comics. Uma das sagas fantásticas de maior culto, nos Estados Unidos, e logo consagrada pela paixão dos fanáticos, Aria ficaria disponível na versão de Trade Paperback - cujas mais-valias são uma série de ilustrações primordiais, o caderno com esboços de Anacleto, e uma galeria de flagrantes - em que se fundem suspiros e esgares, lágrimas e gargalhadas, no êxtase / assombração entre os seus extraordinários heróis. IMAG.38

CALENDÁRiO

15NOV2017-17JAN2018 - Em Vila Nova de Gaia, Centro Interpretativo do Património da Afurada apresenta Bravos do Mar - exposição de fotografia de José Carlos Teixeira.

16NOV2017-20JAN2018 - Em Lisboa, Galeria Belo-Galsterer apresenta Tracção e Compressão Simples Entre Limites Elásticos - exposição de pintura e desenho Pedro Calapez. IMAG.65-393-427-623-653

1930-24NOV2017 - Clotilde Rosa: Compositora portuguesa, cofundadora do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa - «A sua música, ricamente colorida, possui um forte conteúdo dramático e emocional» (Antena 2). IMAG.175

07DEZ2017 - Na Ilha Jeju, Coreia do Sul, a produção de figurado em barro de Estremoz, vulgo Bonecos de Estremoz, é declarada Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela UNESCO.

14-17DEZ2017 - Em Matosinhos, Exponor apresenta a quarta edição de Comic Con Portugal - megaevento cultural promovido por City, incluindo banda desenhada, literatura, cinema, televisão, videojogos, cosplay, anime, mangà, música e Youtube. IMAG.544-596

14DEZ2017-NOV2018 - Em Lisboa, Museu Bordalo Pinheiro expõe Formas do Desejo - A Cerâmica de Rafael [1846-1905] Na Colecção do Museu Bordalo Pinheiro, sendo comissários Mariana Caldas de Almeida e Pedro Bebiano Braga.
IMAG.22-32-43-59-77-98-115-197-208-242-246-256-304-365-381-499-517-615-629

VISTORiA

Na vida pura e monótona das raparigas, chega uma hora deliciosa em que o sol lhes derrama os seus raios na alma, em que a flor lhes exprime os pensamentos, em que as palpitações do coração transmitem ao cérebro o seu calor fecundo, e dissolvem ideias num desejo vago; hora de inocente melancolia e suaves alegrias!
Não raro, certas acções da vida humana parecem, literalmente falando, inverosímeis, embora verdadeiras. Mas não será porque deixamos de espargir sobre as nossas determinações espontâneas uma espécie de luz psicológica, não explicando as razões misteriosamente concebidas que as tornaram necessárias?
Honoré de Balzac
- Eugenie Grandet (1833 – excertos)

VISTORiA

Deliciosa
Muito elegante, muito bem-posta, muito grave e séria, sempre acompanhada pela filha, uma graciosa pequenita de quatro anos, essa mulher aparecia invariavelmente nas ruas da Baixa, no Chiado e na Avenida às horas próprias do flanismo. Era também assídua frequentadora dos circos e teatros, onde dava nas vistas pelo complicado espavento das suas toilettes mirabolantes, dos seus chapéus atrevidos, das suas capas de gosto e do seu todo decidido e petulante próprio da mulher que, tendo ambições, não se deixou vencer funestamente entre as quatro paredes frias e nuas de um lar pobre e humilde, enquanto outras menos jovens, menos belas, menos requestadas e atraentes, lançando as convenções sociais para detrás dos moinhos, gozavam a vida, colhendo-lhe esse único juro que dela se pode tirar quando a mais estrita filosofia preside à determinação dos nossos actos.
Joaquim Alfredo Gallis, aliás Rabelais
- Aventuras Galantes (excerto)

ANUÁRiO

1859-1910 - Joaquim Alfredo Gallis, aliás Rabelais: Ficcionista e jornalista português, autor de Aventuras Galantes - «Sem relutância alguma, satisfiz-lhe o seu desejo, os meus beijos esvoaçaram como leves mariposas naquelas carnes cetinosas e perfumadas, donde se evolavam os mais subtis perfumes.». IMAG.422

MEMÓRiA

20MAI1799-1850 - Honoré de Balzac: Escritor francês - «Todo aquele que contribui com uma pedra para a edificação das ideias, todo aquele que denuncia um abuso, todo aquele que marca os maus, para que não abusem, esse passa sempre por ser imoral». IMAG.216-227-377-593

1878-21MAI1919 - Victor Joseph Ambroise Désiré Segalen, aliás Victor Segalen: Escritor, etnógrafo, arqueólogo e explorador francês - «O facto é que René Leys ali terá entrado durante a noite e finalmente está a dormir em minha casa. Porque se não teria despido? Será assim tão preguiçoso, tímido ou apressado em voltar a sair?» (A Cidade Proibida). IMAG.136-162-650

1935-21MAI2009 - João Pedro Bénard da Costa, aliás João Bénard da Costa: Escritor e crítico, actor como Duarte de Almeida, Director da Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema - «A criação humana é uma forma de nos defendermos contra a morte e uma forma de compensação diante do terror que a vida inspira». IMAG.27-190-208-222-252-287-359-501-588

22MAI1859-1930 - Arthur Ignatius Conan Doyle, aliás Arthur Conan Doyle: Médico e escritor escocês, criador de Sherlock Holmes, autor de História do Espiritismo - «Ao eliminarmos o impossível, o que resta - por mais incrível que pareça - só pode ser a verdade». IMAG.17-66-71-116-128-140-184-227-281-298-487-512

SUMÁRiO

Gallis
Joaquim Alfredo Gallis (1859-1910) foi um escritor e jornalista português. Bastante popular, na sua época, em particular pelas novelas eróticas de que foi autor. A temática dos seus livros fez com que utilizasse frequentemente pseudónimos como Rabelais, Condessa de Til e Duquesa Laureana. Este autor foi completamente esquecido depois da sua morte, são raras as reedições das suas obras após a instauração da república em Portugal, possivelmente por não ter sido apoiante do novo regime.

BREVIÁRiO

Procyon Editora lança Zé Inocêncio - As Aventuras Extra Ordinárias dum Falo Barato de Nuno Saraiva. IMAG.4-311-424-538-624

Dom Quixote edita O Canto e as Armas de Manuel Alegre. IMAG.66-205-276-314-337-366-377-560-603-611-648-674-677

Warner edita em CD, sob chancela Erato, Tharaud Plays [Serguei] Rachmaninov (1873-1943) pelo pianista Alexandre Tharaud, com Royal Liverpool Philharmonic Orchestra, sob a direcção de Alexander Vedernikov. IMAG.412-457-529

Colibri edita Jorge de Sena [1919-1978] - “Aqui No Meio de Nós” de Fernando J.B. Martinho.  
IMAG.60-67-87-112-181-202-249-264-268-305-313-329-332-358-392-486-489-495-502-588-599-661-669-671-682-699

Warner edita em CD, sob chancela Erato, Ludwig van Beethoven [1770-1827]: Sonatas & Variations For Cello & Piano pelo violoncelista Gautier Capuçon e pelo pianista Frank Braley. 
IMAG.134-163-202-204-210-228-229-236-237-239-255-268-285-298-303-323-360-375-384-409-430-431-432-436-442-445-452-458-481-502-529-581-604-605-635-647-666-667-681

Livros do Brasil edita O Quarto Enorme de E.E. Cummings (1894-1962); tradução de José Lima. IMAG.385-486

EXTRAORDINÁRiO

OS HUMANIMAIS - Folhetim Aperiódico

BUÇO COM LEITE MANCHA O COLETE - 10

A vítima, Gonçalo Cunha também não cabia em homem para se conter. Antes pelo contrário e, embora todo esmurrado, andou às turras por meia cidade. Até chegar à Travessa da Silva onde terminaria perdendo-se, ao espicaçar a habitual quezília entre transeuntes e residentes.
Continua

quinta-feira, março 15, 2018

Imaginário-Médio: newsletters de Julho 2014

Continuando a recuperação para a bloguesfera dos antigos posts do Imaginário, disponibilizamos agora as newsletters #473, #474, #475 e #476, referentes ao mês virtual de Julho 2014, que assim ficam acessíveis nos respectivos links no blog Imaginário-Médio.

domingo, março 11, 2018

IMAGINÁRiO #706

José de Matos-Cruz | 08 Maio 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

RIVALIDADES
No Século XIII, o rei de Inglaterra, Edward I, apodera-se da Escócia, cujo monarca faleceu sem herdeiro. Perverso, sem escrúpulos, submete o povo e alicia a nobreza, com títulos e propriedades. Entretanto, aí regressa William Wallace, após errar pelo mundo. Partira jovem, quando o pai foi vítima de Edward, e logo reconhece a bela Murron, com quem brincara em criança. Apaixonados, Murron e William casam em segredo, para evitar o privilégio sobre a noiva, na primeira noite nupcial, concedido por Edward aos senhores da terra. A morte de Murron, em circunstâncias trágicas, incita o bravo coração de William, por vingança e liberdade. Logo atrai seguidores, sucedem-se as vitórias, mas os fidalgos vacilam, sob interesses ou rivalidades…
Assumindo integralmente
O Desafio do Guerreiro (1995), através da sua companhia Icon, Mel Gibson definiu William Wallace como «um homem comum, vindo do povo, mas que chegou a mudar o curso da história». A rodagem decorreu na Irlanda e na Escócia, enquadrando uma paisagem em que se reflectem os intemporais valores humanos - «honra, coragem e lealdade». IMAG.16-62-99-169-527-612

CALENDÁRiO

27OUT2017-21JAN2018 - Em Santo Tirso, Museu Internacional de Escultura Contemporânea apresenta Jeu de 54 Cartes - exposição de fotografia de Jorge Molder. IMAG.165-237-252-475-491-505-570-612-631

17NOV2017-13JAN2018 - Em Lisboa, Galeria 3 + 1 apresenta Pausa - exposição de escultura em madeira e obras sobre papel de Claire de Santa Coloma (Argentina).

23NOV2017-20JAN2018 - Na Caparica, Convento dos Capuchos apresenta Fluxos - exposição de fotografia de Roberto Santandreu (Chile).

01DEZ2017-31JAN2018 - Em Águeda, Centro de Artes apresenta Subway Life - exposição de desenho de António Jorge Gonçalves.
IMAG.19-169-183-195-227-252-292-296-310-342-356-430-433-498-521-551-595-665-675

01DEZ2017-31MAI2018 - No Palácio de Monserrate, Parques de Sintra expõe Monserrate Revisitado - A Colecção [Francis] Cook [1817-1901] Em Portugal.

1943-06DEZ2017 - Jean-Philippe Léo Smet, aliás Johnny Hallyday: Cantor e actor francês - «Iniciou a França ao rock & roll, é um dos poucos cantores [franceses] tidos como um animal do palco» (Philippe Le Corre). IMAG.42

09DEZ2017-13MAI2018 - Em Vila Franca de Xira, Museu do Neo-Realismo apresenta A Sexta Parte do Mundo - exposição de André Guedes, Marcelo Felix, Maria Trabulo e Nikolai Nekh, no âmbito do centenário da Revolução Russa, sendo curadoras Sandra Vieira Jürgens e Paula Loura Batista, e inaugurando o ciclo de arte contemporânea Cosmo/Política.

14DEZ2017-30SET2018 - Em Vila Franca de Xira, Museu do Neo-Realismo expõe Miúdos, a Vida às Mãos Cheias - A Infância do Neo-Realismo Português, sendo curadoras Carina Infante do Carmo e Violante F. Magalhães.

VISTORiA

As Pombas…

Vai-se a primeira pomba despertada…
Vai-se outra mais… mais outra… enfim dezenas
De pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia sanguínea e fresca a madrugada…

E à tarde, quando a rígida nortada
Sopra, aos pombais de novo elas, serenas,
Ruflando as asas, sacudindo as penas,
Voltam todas em bando e em revoada…

Também dos corações onde abotoam,
Os sonhos, um por um, céleres voam,
Como voam as pombas dos pombais;

No azul da adolescência as asas soltam,
Fogem… Mas aos pombais as pombas voltam,
E eles aos corações não voltam mais…
Raimundo Correia

VISTORiA

Quando a consistência do governo da maior parte das cortes da Europa se acha enervada e enfraquecida, ou com discórdias e divisões intestinas, como está sucedendo em França e Inglaterra, ou com sedições clandestinas e cinzânias brotadas pelas venenosas raízes jesuíticas, que não puderam arrancar até agora, como está sucedendo em Espanha, Sabóia, Roma e grande parte de Itália e Alemanha, depois de terem visto os estrangeiros, pelo contrário, que em todo o Portugal e seus domínios não soam outras razões que não sejam as que baixam do real trono de S.M., que lhe são ouvidos com suma reverência, por se acharem vassalos do mesmo senhor constituídos na finíssima fé de que ele só resolve e determina o que é mais útil aos seus vassalos e de que a todos os ama e ampara como a filhos, e não como a súbditos…
Marquês de Pombal
- Cartas e Outras Obras Selectas (excerto)

As Rosas de Santa Isabel

«Onde ides, correndo asinha,
Onde ides, bela Rainha,
Onde ides, correndo assim?
Porque andais fora dos Paços?
Que peso levais nos braços?
Oh! Dizei-mo agora a mim?…»

A Santa, regalos novos,
Frutas, pão, e carne, e ovos,
No regaço e braços seus,
Sem cuidar ser surpreendida,
Ia levar farta vida
Aos pobrezinhos de Deus.

Coram-lhe as faces formosas,
E responde: – «Levo rosas…»
Dom Dinis deitou-lhe a mão,
Ao regaço, de repente;
Mas de rubra cor vivente
Só rosas lá viu então!…

Como o tempo era passado,
Nos jardins, no monte e prado,
De rosas e toda a flor,
El-rei, cheio de piedade,
Nas rosas da caridade
Viu a bênção do Senhor!

E daquele rosal dela
Tirando uma rosa bela,
Que guardou no peito seu,
Disse-lhe: – «Em paz ide agora,
Que eu me encomendo, Senhora,
À Santa, ao Anjo do Céu.»
João de Lemos

Príncipe

Príncipe:
Era de noite quando eu bati à tua porta
e na escuridão da tua casa tu vieste abrir
e não me conheceste.
Era de noite
são mil e umas
as noites em que bato à tua porta
e tu vens abrir
e não me reconheces
porque eu jamais bato à tua porta.
Contudo
quando eu batia à tua porta
e tu vieste abrir
os teus olhos de repente
viram-me
pela primeira vez
como sempre de cada vez é a primeira
a derradeira
instância do momento de eu surgir
e tu veres-me.
Era de noite quando eu bati à tua porta
e tu vieste abrir
e viste-me
como um náufrago sussurrando qualquer coisa
que ninguém compreendeu.
Mas era de noite
e por isso
tu soubeste que era eu
e vieste abrir-te
na escuridão da tua casa.
Ah era de noite
e de súbito tudo era apenas
lábios pálpebras intumescências
cobrindo o corpo de flutuantes volteios
de palpitações trémulas adejando pelo rosto.
Beijava os teus olhos por dentro
beijava os teus olhos pensados
beijava-te pensando
e estendia a mão sobre o meu pensamento
corria para ti
minha praia jamais alcançada
impossibilidade desejada
de apenas poder pensar-te.

São mil e umas
as noites em que não bato à tua porta
e vens abrir-me.
Ana Hatherly
- Um Calculador de Improbabilidades (2001)

MEMÓRiA

06MAI1819-1890 - João de Lemos Seixas de Castelo Branco, aliás João de Lemos: Poeta, dramaturgo e jornalista português - «Mas se não amo, nem posso, / Que pode então isto ser? / Coração, se já morreste, / Porque te sinto bater? / Ai, desconfio que vives / Sem tu nem eu o saber. // Porque a olho quando a vejo? / Porque a vejo sem a olhar? / Porque longe dos meus olhos / Me andam os seus a lembrar? / Porque levo tantas horas / Nela somente a pensar?» (Não Te Entendo, Coração). IMAG.226-244-259

08MAI1929-2015 - Ana Hatherly: Artista portuguesa, escritora, pintora, cineasta, professora universitária - «Que é voar? / É só subir no ar, / levantar da terra o corpo, os pés? / Isso é que é voar? / Não. // Voar é libertar-me, / é parar no espaço inconsistente / é ser livre, leve, independente / é ter a alma separada de toda a existência / é não viver senão em não-vivência. // E isso é voar? / Não. / Voar é humano / é transitório, momentâneo… / Aquele que voa tem de poisar em algum lugar: / isso é partir / e não voltar.» (Que É Voar?). IMAG.63-208-233-435-461-580-641-689-703

13MAI1699-1782 - Sebastião José de Carvalho e Melo: Conde de Oeiras e Marquês de Pombal - «É mais eficaz a moderação com que se repreende do que a severidade com que se castiga».  
IMAG.17-19-39-54-84-194-256-340-370-436-547-603

13MAI1859-1911 - Raimundo da Mota de Azevedo Correia, aliás Raimundo Correia: Poeta brasileiro, autor de Primeiros Sonhos (1879) - «Pela primeira vez, ímpias risadas / Susta em pranto o deus da zombaria; / Chora; e vingam-se dele, nesse dia, / Os silvanos e as ninfas ultrajadas; // Trovejam bocas mil escancaradas, / Rindo; arrombam-se os diques da alegria; / E estoira descomposta vozeria / Por toda a selva, e apupos e pedradas…» (Tristeza de Momo - excerto).

1835-14MAI1889 - José Eduardo Coelho: Escritor e jornalista português, fundador e director do Diário de Notícias - «Viajar é civilizar-se. Cada hora de viagem equivale a muitas páginas de instrutiva leitura».  
IMAG.32-44-230-242-496