terça-feira, novembro 28, 2017

IMAGINÁRiO #691

 José de Matos-Cruz | 16 Janeiro 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

NAVEGAR
Sagrada uma primeira geração de notáveis artistas pioneiros, a banda desenhada de expressão franco-belga exploraria distintos horizontes e protagonistas, sob a estratégia das principais editoras, e visando um mais amplo público de adolescentes e adultos. Aos aliciantes da aventura correspondem os temas virtuais, testando-se versáteis grafismos pela pulsão estética e narrativa. Por tais parâmetros sobressai Jean-Pierre Gibrat, cuja notoriedade de firmou com La Parisiènne (1983), na revista Pilote. Autor de minuciosa ilustração, sobre a fértil escrita de Daniel Pecqueur, Gibrat desenvolveu a saga de Claire Dulac, uma fascinante navegadora solitária em Maré Baixa / Marée Basse (1996).
Após Pinóquia / Pinocchia (1995), um «conto de fadas para adultos», desta vez - subvertendo a fantasia moral, em todos os estigmas irónicos e perversos - não é um sapo desencantado, mas um macaco-de-circo que, ao beijo da bela Claire, se transforma em príncipe… amestrado! Uma Veneza pós-apocalíptica ressurge, sempre sedutora e fétida, tendo-se excedido Gibrat, num fascínio gráfico entre o sortilégio erótico e a provocação estilística. IMAG.48-522-536

CALENDÁRiO

04SET-31OUT2017 - Em Ourém, Biblioteca Municipal apresenta Rostos de Timor - exposição de fotografia de António Cotrim.

1931-14SET2017 - Fernanda Borsatti da Fonseca, aliás Fernanda Borsatti: Actriz portuguesa de teatro, cinema e televisão - «Uma grande perda de uma geração que marcou de forma extraordinária o teatro, o teatro de revista e o cinema também, mas a memória da Fernanda ficará sempre, com esse riso dela e com esse seu gosto de brincar com a vida» (Luís Galvão Teles).

14SET-20NOV2017 - Em Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian apresenta Às Vezes Sombra, às Vezes Luz - exposição de filmes, fotografias e colagens de Marie José Burki (Suíça), sendo curadora Leonor Nazaré.

1926-15SET2017 - Harry Dean Stanton: Artista americano, actor de cinema, músico e cantor - «Um mestre zen… Costumava dizer “adoro não fazer nada e, depois, descansar um bocadinho”» (Logan Sparks).

21SET2017 - Terratreme produziu, e estreia com Portugal Film, A Fábrica de Nada (2017) de Pedro Pinho; com José Smith Vargas e Carla Galvão. IMAG.490

21SET-03NOV2017 - Em Lisboa, Plataforma Revolver apresenta Lights, Camera, Action! - Retratos do Cinema - exposição de fotografia de Renaud Monfourny (França), sendo curador Victor Pinto de Fonseca.

22SET2017-21JAN2018 - No Centro Cultural de Cascais, Fundação D. Luís I apresenta In Full Light | Em Plena Luz - exposição de fotografia de Herb Ritts (EUA), sendo curadora Alessandra Mauro.

23SET-23OUT2017 - Em Evoramonte, Paço do Castelo apresenta, na Torre, Diáspora - instalação de Kevin P. Morrow (EUA).
 
VISTORiA

O Corvo (Antero e Poe)

Quando o meu corvo, trémulo, doente,
- Como quem sofre as minhas agonias
Naquela noite veio, amargamente,
Dizer-me, soluçando, que morrias,

Percebi-lhe no olhar as nostalgias
Da noite negra, sem luar, fremente,
Aonde as suas asas luzidias
Tomaram cor misteriosamente…

E à luz medrosa do candeeiro exausto,
Bebendo a minha dor num longo hausto
Mais triste que o soluço das nortadas,

Analisei a mágoa de nós dois
Para ver qual sofria mais… depois…
Céus! Desatei, chorando, às gargalhadas!
José Duro
- Fel (1898)

MEMÓRiA

17JAN1929 - Na tira cómica Thimble Theater, publicada em The New York Evening Journal, aparece pela primeira vez Popeye, sendo autor Elzie Crisler Segar. IMAG.218-255

05FEV1909-17JAN1969 - Grazyna Bacewicz: Compositora e violinista polaca, distinguida com o Prémio do Ministério da Cultura (1955) por String Quartet Nº 3 (1947). IMAG.382

18JAN1689-1755 - Charles-Louis de Secondat, aliás Charles de Montesquieu: Escritor, filósofo e político francês - «Recebemos três educações diferentes: a dos nossos pais, a dos nossos mestres e a do mundo. O que aprendemos com esta última, destrói todas as ideias das duas primeiras». IMAG.25-372-502

1807-18JAN1859 - Alfred Lewis Vail, aliás Alfred Vail: Mecânico e inventor americano, autor do panfleto The American Electro Magnetic - Dots, Lines and Spaces Created on Board the Packet Sully, By Prof. Samuel F.B. Morse (1945); fez parceria com Morse, após a sua demonstração pública do aparelho telegráfico (1837), tendo ainda uma intervenção decisiva no aperfeiçoamento do Código Morse. IMAG.24-628

1875-18JAN1899 - José António Duro, aliás José Duro: Poeta português - «Por isso irei sonhar debaixo dum cipreste, / Alheio à sedução dos ideais perversos… / O poeta nunca morre embora seja agreste / a sua inspiração e tristes os seus versos!» (Doente - excerto). IMAG.51-535

19JAN1809-07OUT1849 - Edgar Allan Poe: Ficcionista e poeta americano - «A beleza de qualquer espécie, na sua evolução suprema, provoca inevitavelmente as lágrimas de qualquer alma sensível». IMAG.66-211-244-254-376-454-651-677

1723-21JAN1789 - Paul Heinrich Thiry, Barão de Holbach: Escritor e filósofo franco-alemão, autor de O Sistema da Natureza ou As Leis do Mundo Físico e do Mundo Moral (1770), sob o pseudónimo de Jean-Baptiste Mirabaud, na Enciclopédia Francesa, organizada por Denis Diderot - «Não existem dois indivíduos sobre a Terra que tenham ou possam ter as mesmas ideias do seu Deus». IMAG.418

1881-21JAN1959 - Cecil B. DeMille: Cineasta americano - produtor, realizador, argumentista e actor - entre os fundadores da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas - «Os filmes devem começar com uma catástrofe, e continuar em crescendo de acção». IMAG.96-248-486

23JAN1899-1986 - Rubens Borba de Moraes: Coleccionador, bibliógrafo e escritor brasileiro, autor de O Bibliófilo Aprendiz (1965) - «É possível até que a forma do livro mude, essa forma que se manteve idêntica há mais de mil anos. Desejo aos leitores desse futuro as mesmas delícias que sentimos, folheando uma primeira edição de um autor querido ou manuseando uma bela encadernação. Se não for possível, neste futuro próximo, ter esse prazer, então a vida não valerá a pena ser vivida e o homem merecerá o destino que a bomba atómica lhe prepara». IMAG.423-577

1904-23JAN1989 - Salvador Dalí i Domènech,  aliás Salvador Dali: Pintor espanhol, nascido na Catalunha - «Desenhar, é o factor mais honesto da criatividade artística. Não há possibilidade de logros. Ou se é bom, ou se é mau… Não pinto retratos que se pareçam com os modelos, antes na perspectiva de que tais pessoas venham a parecer-se com os seus retratos». IMAG. 6-38-70-234-288-463-466-520

VISTORiA

As leis ou não, que governam os povos, não são fruto do capricho ou do arbítrio de quem legisla. Pelo contrário, decorrem da realidade social e da História concreta, relativa ao povo em consideração. Não existem leis justas ou injustas. O que existe são leis mais ou menos adequadas a um determinado povo e a uma determinada circunstância de época ou lugar. O autor procura estabelecer a relação das leis com as sociedades ou, ainda, com o espírito das mesmas.
Montesquieu
- Do Espírito das Leis (1748, excerto)

COMENTÁRiO

POPEYE

Criado em 1929 por Elzie Segar, popular em quadradinhos e na animação, Popeye constituiria um desafio intransponível em imagem real - pela apurada estilização gráfica, distorcida sobre o caricatural, e pela complexidade de significados inerentes. Uma narrativa de leitura aparentemente linear, mas eivada de subentendidos e ritmos interiores - cuja virtualidade havia que preservar, para além de um exacerbado confronto entre bons e maus. A evolução tecnológica permitiu enfim, aliada à convergência de artistas talentosos, superar tais dilemas em 1980, com realização a cargo de Robert Altman. O prestigiado Jules Feiffer concebeu o argumento, despontando Robin Williams como Popeye.
Em foco, um dos fulcros da trágica epopeia do excêntrico marinheiro - sulcando as ondas em busca de seu pai, que o abandonou em criança. A chegada a novo porto leva-o a conhecer a magrizela e caprichosa Olivia, por quem se apaixona e que está para casar, com o sinistro e possante Blutus. Nada que Popeye não resolva entre duas cachimbadas e um trago de espinafres! Ao insólito triângulo junta-se toda uma fauna pitoresca, que povoa a estouvada mundivivência de Popeye. Num sortilégio radical entre o poético e o patético, e para além da alegoria social, a saga de Popeye está pejada de insinuações ao regime democrático, bem revistas pela mordacidade de Altman e Feiffer.

BREVIÁRiO

Assírio & Alvim edita Novelas Policiárias - Uma Antologia de Fernando Pessoa (1888-1935); edição de Ana Maria Freitas e Fernando Cabral Martins.
IMAG.26-28-64-82-130-131-157-182-187-196-207-211-236-264-323-326-330-333-343-347-376-382-384-385-395-399-403-404-417-426-433-450-460-467-491-507-509-524-540-551-556-561-576-593-596-604-605-612-613-617-622-632-638-640-645-662-663-687

Antígona edita Tomás da Fonseca [1877-1968] - Missionário do Povo de Luís Filipe Torgal. IMAG.122 -292-303-429-465-513-601-646

Assírio & Alvim edita Boca Bilingue de Ruy Belo (1933-1978); prefácio de Gastão Cruz. IMAG.190-332-408-490-603-627-670

segunda-feira, novembro 27, 2017

Imaginário-Médio: newsletters de Fevereiro 2013

Já estão disponíveis online no blog Imaginário-Médio, as newsletters alusivas à data virtual de Fevereiro 2013, previamente inéditas na internet. Para consultar os destaques, visite os respectivos links: #405, #406, #407 e #408.


quarta-feira, novembro 22, 2017

IMAGINÁRiO-Extra: CADERNO DIÁRIO DA MEMÓRIA de MÁRIO AUGUSTO

O fenómeno e o sucesso logrados com A Sebenta do Tempo – Manual de Memória Para Esquecidos, em 2016, estimularam  Mário Augusto à revelação de Caderno Diário da Memória, também publicado sob chancela da Bertrand Editora. Revisitando e atribuindo outras valências ou abordagens a um manancial fascinante, irresistível, agora mais detalhado em referências, e numa perspectiva acentuada pelas vivências pessoais.

Minúcia, entusiasmo e curiosidade continuam a assinalar esta reiniciada viagem de Mário Augusto, privilegiando aspectos múltiplos do gosto e da arte, da cultura e do entretenimento que o influenciaram e divertiram, como a tantos de nós, a partir dos anos de 1960, constituindo paralelamente um imenso e intenso panorama sobre a história recente, cujas implicações ou experiências sociais e individuais acabariam por envolver Portugal ao Mundo.

Recuperando e expandindo, ou recolhendo novos apontamentos d’A Sebenta do Tempo, este Caderno Diário da Memória amplia, ilustra e comenta, assim, um abundante universo em que as leituras empolgantes, a banda desenhada, as músicas preferidas mas ainda a rádio, o cinema e a televisão são algumas das atracções principais. Tal como os brinquedos e as colecções, os livros e as revistas, os discos, os cromos ou os jogos predilectos.

As personalidades e os acontecimentos, a aprendizagem e a publicidade, os objectos e os rituais de época, tornam-se manifestações e testemunhos de uma actualidade fecunda e em vertiginosa transformação, que Mário Augusto lembra e partilha, evoca e restitui, ao seu estilo reflectido e informativo, informal e revelador. Formulando um desafio auspicioso, para que voltemos a percorrer os nossos próprios e favoritos momentos únicos.

IMAG.33-139-598-Extra

terça-feira, novembro 21, 2017

IMAGINÁRiO #690

 José de Matos-Cruz | 08 Janeiro 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

 PRONTUÁRiO

TRANSPARÊNCIAS
Espantar o espectador, surpreender a crítica, fascinando entre um e outra quem é sensível ao culto virtual do imaginário - eis um tremendo feitiço que Paul Verhoven desencadeia, com O Homem Transparente (2000). Tal desígnio parece sintomático, de quem se orienta por estímulos rituais da acção e do choque, perante um público cúmplice ou propício. Por outro lado, sem limitar-se aos alcances de circunstância, sugerindo a inspiração de romanescos vários… para, de imediato, suscitar uma perturbante subversão.
A primeira referência é, inevitavelmente, o clássico da literatura por H.G. Wells - O Homem Invisível, transferindo-se para a transposição fílmica de James Whale, em 1933, e mais distintas derivações. Porém, Paul Verhoven - a partir do argumento por Andrew W. Marlowe, também autor de Força Aérea 1 (1997 - Wolfgang Petersen) - orienta-se por outras influências e respectiva descodificação: mitos ou sagas de um imaginário popular, com repercussão grotesca e anacrónica sobre a actualidade em seus transes e precários comparsas.

CALENDÁRiO

06SET-14OUT2017 - Em Lisboa, Gabinete apresenta Pas de Deux - exposição de gravura de Ana Jotta. IMAG.236-292-461

08-24SET2017 - Em Algés, Galeria Palácio Ribamar apresenta Percursos Paralelos - exposição de pintura de Eduardo Santos Neves e Eduardo Teixeira. IMAG.674

08SET-03DEZ2017 - No Porto, Centro Português de Fotografia apresenta The Portuguese Prison Project - exposição de fotografia de Luís Barbosa e Peter M. Schulthess (Suíça).


1948-10SET2017 - Leonard Norman Wein, aliás Len Wein: Argumentista e editor americano de banda desenhada, co-autor de Wolverine e Swamp Thing / Monstro do Pântano - «A história dos comics modernos seria incrivelmente diferente, se não tivéssemos contado com as suas contribuições» (Chris Claremont - 2009). IMAG.341-475

15SET-31NOV2017 - Em Cascais, Fundação D. Luís I expõe, na Casa de Santa Maria, Diários Gráficos de Rui Paiva. IMAG.475

20SET-02DEZ2017 - Em Lisboa, Kunsthalle Lissabon apresenta Shit-Baby and the Crumpled Giraffe - instalação de Naufus Ramírez-Figueroa (Guatemala).

21SET-31DEZ2017 - Em Évora, Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo expõe Cantão e a Rota Marítima da Seda.

28SET-05NOV2017 - Em Lisboa, Museu do Oriente expõe O Mundo de Norio Fujishiro (Japão). 
 
PARLATÓRiO

Quando San Francisco foi lançada na primavera de 1967, o meu país vivia um caos. Além de sofrermos por assassinatos políticos, estávamos amargamente divididos pela escalada da Guerra do Vietname, e sangrando por actos internos de violência e ódio, muitos deles como reacção a pacíficos protestos e demonstrações pelos direitos civis. Mesmo quando tantos de nós já havíamos perdido as esperanças, quando o Verão do Amor já estava a transformar-se num Inverno de Desespero, a nossa música ajudou-nos a manter-nos vivos e levar-nos em frente num mundo que ainda tínhamos esperança de mudar. E ela ainda faz isso hoje…
Scott McKenzie

MEMÓRiA

08JAN1929-1990 - Michel Giacometti: Etnólogo francês nascido na Córsega e radicado em Portugal (1959), recolheu a tradição e a memória da música popular, por áreas e costumes, tendo lançado a Antologia da Música Regional Portuguesa (Arquivos Sonoros Portugueses) com Fernando Lopes-Graça. IMAG.538

10JAN1939-2012 - Scott Philip Blondheim, aliás Scott McKenzie: Cantor americano, intérprete de San Francisco (1967) - «…Fico espantado como, tantos anos depois, continua a evocar sonhos nos corações e a estimular emoções nos espíritos das pessoas em todo o mundo» (2002). IMAG.422

1926-11JAN1999 - Artur Bual: Artista plástico português, pintor, escultor e ceramista - «Autor de uma obra notável e cuja importância para as artes visuais nacionais está ainda longe de ser plenamente compreendida» (Carlos Cabral Nunes / Casa da Liberdade - Mário Cesariny / Direção Artística). IMAG.593

1932-11JAN2009 - Shigeo Fukuda: Escultor japonês, designer e artista gráfico - «Creio que, em design, é necessário haver trinta por cento de dignidade, vinte por cento de beleza e cinquenta por cento de absurdo». IMAG.235-357

12JAN1729-1797 - Edmund Burke: Filósofo e político anglo-irlandês - «Não se pode planear o futuro pelo passado». IMAG.618

1934-12JAN2009 - Claude Berel Langmann,  aliás Claude Berri: Cineasta francês, actor e produtor - «Não sei se posso aprender com o cinema, mas na pintura descubro mais todos os dias» (2003). IMAG.233-473

1882-14JAN1949 - Joaquín Turina Pérez, aliás Joaquín Turina: Compositor espanhol, maestro e pianista, distinguido com a Gran Cruz de Alfonso X el Sabio (1943) - «Em Paris, aperfeiçoei todos os estudos de composição, e depois, continuando a aplicar-me, passei a amar cada vez mais uma profissão em que sempre estamos a aprender». IMAG.647

15JAN1929-1968 - Martin Luther King Jr, aliás Martin Luther King: Activista americano, defensor dos direitos cívicos, distinguido com o Prémio Nobel da Paz (1964) - «Não poderemos estar satisfeitos, enquanto a mobilidade fundamental do Negro for passar de um gueto pequeno para um maior» (1963). IMAG.20-190-210-227-432-653

15JAN1939-2012 - Stephen Dwoskin: Realizador americano, de incidências experimental e documental, radicado em Londres (1964), autor do livro Film Is... (1975) - «O cinema é a minha linguagem, sem a linguagem fico silencioso e, no silêncio, deixo de existir». IMAG.423

22JAN1849-1912 - Johan August Strindberg, aliás August Strindberg: Ficcionista e ensaísta sueco - «Somos inocentes, mas responsáveis. Inocentes perante aquele que já não existe, responsáveis perante nós próprios e os nossos semelhantes». IMAG.288-370-615-635

BREVIÁRiO

Sistema Solar edita Histórias Aquáticas de Joseph Conrad (1857-1924); tradução e apresentação de Aníbal Fernandes.  
IMAG.157-224-243-303-418-477-564-571-637-651

Dom Quixote edita Para Aquela Que Está Sentada No Escuro à Minha Espera de António Lobo Antunes. IMAG.136-438-460-609-633

Tinta da China edita O Homem Fatal de Nelson Rodrigues (1912-1980); selecção e prefácio de Pedro Mexia. IMAG.304-383-659

A Esfera dos Livros edita João XXI [1205-1277] - O Papa Português de Armando Norte. IMAG.36-498-579-611

Relógio D’Água edita As Ilhas Gregas de Lawrence Durrell (1912-1990); tradução de Carlos Leite. IMAG.297-368

COMENTÁRiO

Shigeo Fukuda
Não é um comunicador conformado aos princípios da acessibilidade. Com raras excepções, a sua arte pretende mistificar.
Seymour Chwast (2005)

PARLATÓRiO

Claude Berri
A mais lendária figura do cinema francês.
Nicolas Sarkozy (2009)

VISTORiA

Família, tu és a morada de todos os vícios da sociedade; tu és a casa de repouso das mulheres que amam as suas asas, a prisão do pai de família e o inferno das crianças.
August Strindberg
- O Filho da Criada (excerto)


EXTRAORDINÁRiO

OS HUMANIMAIS - Folhetim Aperiódico

BUÇO COM LEITE MANCHA O COLETE – 6

Mestre brilhante, às vezes achava-se um outro. Como aluno, ensinava. Como professor, aprendia. Sub-reptício, em solenidades cultivava o anonimato, pois não queria que a imprensa o confundisse com um artista de seu nome, mas mais ilustre figura pública. Modesto, não se prestava com ele o tal exemplo da gralha que, para respeitar-se, precisava das penas de pavão.
Continua  

domingo, novembro 19, 2017

Imaginário-Médio: newsletters de Janeiro 2013

O blog Imaginário-Médio entra no décimo ano, previamente inédito online, com as newsletters #401, #402, #403 e #404, respectivas à data virtual de Janeiro de 2013, sendo os seus conteúdos recuperados doravante para consulta na websfera.


sexta-feira, novembro 17, 2017

IMAGINÁRiO-Extra: TRAÇOS & TONS – Exposição de DANIEL MAIA

Inaugurada em 13 Novembro, está patente na Bedeteca José de Matos-Cruz / Biblioteca Municipal de S. Domingos de Rana (Cascais), até ao próximo dia 16 de Dezembro, a exposição Traços & Tons – uma selecção de pranchas de banda desenhada e desenhos de Daniel Maia, em versão expandida e actualizada, a partir de uma mostra concebida e apresentada, entre Abril e Maio de 2015, no Ateneu Popular de Montijo.
Além de populares heróis da indústria de comics norte-americana, como Super-Homem, Wolverine, Batman, Deadpool, Mulher-Maravilha, Thor e Tartarugas Ninja, entre outros, figuram O Infante Portugal e a Aurora Boreal, criados por José de Matos-Cruz, e cujas recentes novidades editoriais O Infante Portugal em Universos Reunidos (Kafre/Arga Warga) e Aurora Boreal e O Princípio Infinito (Apenas Livros) estão à venda no local, bem como merchandising destas mesmas personagens.


IMAG.196-387- 416-430- 435-528- 538-563- 596-615- 673-678

quinta-feira, novembro 16, 2017

IMAGINÁRiO #689

  José de Matos-Cruz | 01 Janeiro 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

 
PRONTUÁRiO

PRODÍGIOS
Numa incidência fulgurante, sensual, entre passado e fantástico, o realismo primitivo e a magia intemporal, expande-se a saga de O Mercenário - segundo a exploração plástica e narrativa de Vicente Segrelles, originalmente apresentada pela revista espanhola Cimoc, a partir de 1980.
Relatando as façanhas de um guerreiro a soldo, projectadas sobre a mística ou enfrentando o mal. Assim, O Fim do Mundo - quando, próximo do Ano 1000, uma nefasta conjugação astral suscita ansiedade ou pânico entre os habitantes do País das Nuvens. Inspirado pela bela Nan-Tay, o Mercenário acorre, então, ao apelo para acompanhar o Grande Lama, prior da Ordem da Cratera, numa extraordinária incursão… Mais uma missão para o valente Mercenário, deixando latente este prodigioso épico, em que o estilo pessoalíssimo de Segrelles - onírico e simbólico, numa perturbante mas violenta exaltação - transcende a óleo o talento do retratista, cujo herói - com a fisionomia do actor Giuliano Gemma - explora outros domínios para a banda desenhada. IMAG.505

CALENDÁRiO

08SET2017 - Em Lisboa, Palácio Nacional da Ajuda apresenta Joan Miró [1893-1983]: Materialidade e Metamorfose - exposição de pintura comissariada por Robert Lubar Messeri. IMAG.356-415-640

15SET2017-07JAN2018 - No Porto, Museu de Arte Contemporânea de Serralves apresenta D’Après Fibonacci e as Coisas Lá Fora - exposição de pintura de Jorge Pinheiro, sendo curador Pedro Cabrita Reis. IMAG.399

23SET-31DEZ2017 - Em Lisboa, Museu do Design e da Moda/MUDE expõe no Palácio dos Condes da Calheta, no âmbito da Capital Ibero-Americana de Cultura, Como Se Pronuncia Design Em Português: Brasil Hoje, sendo curador Frederico Duarte.

04OUT2017-12FEV2018 - Em Lisboa, Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia / MAAT apresenta Shadow Soundings - instalação de Bill Fontana (EUA) sobre a Ponte 25 de Abril (Lisboa).

13OUT-30DEZ2017 - Em Lisboa, Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado apresenta A-Mão-de-Olhos-Azuis - exposição de pintura de Candido Portinari (1903-1962 - Brasil), sendo curadora Maria de Aires Silveira. IMAG.79-553

13OUT2017-15JAN2018 - Em Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian expõe Ana Hatherly [1929-2015] e o Barroco - Num Jardim Feito de Tinta, sendo curadores Paulo Pires do Vale e Nuno Vassallo e Silva. IMAG.63-208-233-435-461-580-641

PARLATÓRiO

Pessoalmente, não me considero um artista, e sim - apenas - um operário que fabrica histórias aos quadradinhos.
Eduardo Teixeira Coelho

VISTORiA

Vila Real Alegre…

Vila Real é uma cidade generosa e fraterna. E, também, a cidade da ironia… Por ali não passa ninguém que, como os cavalos de raça, não traga na anca o sinete do escudo da cidade. Nunca vi cidade tão impertinentemente impiedosa para os nossos defeitos, para os marcar a fogo na individualidade de cada um que a vá servir.
João Pina de Morais
16DEZ1943 - Jornal de Notícias

MEMÓRiA

01JAN1899-1985 - João de Araújo Correia: Escritor português, médico e professor - «…O mestre de nós todos, que andamos há cinquenta anos a lavrar nesta ingrata e improba seara branca do papel almaço, e somos velhos, gloriosos ou ingloriosos, pouco importa; mestre dos que vieram no intermezo da arte literária com três dimensões para a arte literária sem gramática, sem sintaxe, sem bom senso, sem pés nem cabeça; e mestre para aqueles que terão de libertar-se da acrobacia insustentável e queiram construir obra séria e duradoura» (Aquilino Ribeiro). IMAG.349-544-556

01JAN1919-2010 - Jerome David Salinger, aliás J.D. Salinger: Escritor americano - «Sou o maior mentiroso do mundo. Se me dirijo até a esquina para comprar uma revista e alguém me pergunta qual o meu destino, sou capaz de dizer - vou à ópera». IMAG.288-534-636

1924-01JAN2009 - Edmund Anthony Cutlar Purdom, aliás Edmund Purdom: Actor britânico de teatro e cinema, intérprete de António e Cleópatra (William Shakespeare) na Broadway (1952), protagonista de O Egípcio (1954 - Michael Curtiz), encenador e realizador de Don’t Open ‘til Christmas (1984); em 1962, a MGM rescindiu contrato, sob a alegação de que o seu relacionamento com Linda Christian havia violado uma «cláusula moral»; radicado em Itália por 1964, dedicou-se a filmes de acção e sensação, e à dobragem para inglês. IMAG.231-442-495

04JAN1809-1852 - Louis Braille: Cidadão francês, inventor do sistema de leitura para cegos, conhecido por Método Braille (criado em 1821 e publicado em 1829) - «Nós não queremos ficar separados do mundo porque não podemos ver, e por isso temos de trabalhar e estudar para sermos iguais aos outros, para não sermos desprezados como ignorantes ou objectos de piedade. Farei tudo o que puder para ajudar a alcançar a dignidade através do conhecimento… O acesso à comunicação no seu sentido mais lato é o acesso ao conhecimento e este é de importância vital para nós, se não quisermos ser desprezados ou protegidos por normovisuais condescendentes. Não precisamos de piedade nem de que nos lembrem que somos vulneráveis. Queremos ser tratados como iguais, e é através da comunicação que podemos consegui-lo». IMAG.209-355

04JAN1839-1860 - Casimiro José Marques de Abreu, aliás Casimiro de Abreu: Poeta brasileiro - «Oh! Que saudades que tenho / da aurora da minha vida, / da minha infância querida / que os anos não trazem mais! / Que amor, que sonhos, que flores, / naquelas tardes fagueiras, / à sombra das bananeiras, / debaixo dos laranjais!» (Meus Oito Anos).

04JAN1899-1982 - Maria Emília Archer Eyrolles Baltasar Moreira, aliás Maria Archer: Escritora portuguesa - «Não conheço mesmo outra que à audácia dos temas e das ideias alie uma expressão tão enérgica e pessoal. O seu estilo respira força e solidez» (João Gaspar Simões - 1930).

04JAN1919-2005 - Eduardo Teixeira Coelho, ou (sob pseudónimo) Martin Sièvre: O mais prestigiado dos artistas portugueses de quadradinhos, distinguido com o Prémio Yellow Kid para o Melhor Ilustrador Estrangeiro, no Festival de Lucca (Itália, 1973), atribui - ao grafismo harmonioso e inimitável, ao estilo dinâmico e gracioso - o sortilégio, a nostalgia e a modernidade que distinguem os criadores primordiais. IMAG.28-31-41-43-85-117-129-132-209-328-372-568-578-607-617

1924-05JAN2009 - Martin Patterson Hingle, aliás Pat Hingle: Actor norte-americano - «Posso ser o condutor de um camião, um médico, um advogado, um juiz ou qualquer outra pessoa, seja qual for a profissão… O meu aspecto permite-me ter uma boa imagem, em qualquer meio ou profissão. É uma bênção, e tenho consciência disso». IMAG.232-475

06JAN1889-1953 - João Pina de Morais: Escritor, jornalista e político português - «As lutas do Douro são todas contra a ignorância que do Douro tem o país e da incompreensão da sua vida. O duriense agarra-se à defesa da sua região como a videira aos seus xistos, isto é, com desespero, porque sabem um e outra que morrem impiedosamente se lhe tirarem o pão». IMAG.304-404

VISTORiA

Desejo

Se eu soubesse que no mundo
Existia um coração,
Que só por mim palpitasse
De amor em terna expansão;
Do peito calara as mágoas,
Bem feliz eu era então!

Se essa mulher fosse linda
Como os anjos lindos são,
Se tivesse quinze anos,
Se fosse rosa em botão,
Se inda brincasse inocente
Descuidosa no gazão;

Se tivesse a tez morena,
Os olhos com expressão,
Negros, negros, que matassem,
Que morressem de paixão,
Impondo sempre tiranos
Um jugo de sedução;

Se as tranças fossem escuras,
Lá castanhas é que não,
E que caíssem formosas
Ao sopro da viração,
Sobre uns ombros torneados,
Em amável confusão;

Se a fronte pura e serena
Brilhasse d’inspiração,
Se o tronco fosse flexível
Como a rama do chorão,
Se tivesse os lábios rubros,
Pé pequeno e linda mão;

Se a voz fosse harmoniosa
Como d’harpa a vibração,
Suave como a da rola
Que geme na solidão,
Apaixonada e sentida
Como do bardo a canção;

E se o peito lhe ondulasse
Em suave ondulação,
Ocultando em brancas vestes
Na mais branda comoção
Tesouros de seios virgens,
Dois pomos de tentação;

E se essa mulher formosa
Que me aparece em visão,
Possuísse uma alma ardente,
Fosse de amor um vulcão;
Por ela tudo daria...
– A vida, o céu, a razão!
Casimiro de Abreu

BREVIÁRiO

Dom Quixote edita As Mentiras Que os Homens Contam de Luís Fernando Veríssimo. 
 

segunda-feira, novembro 13, 2017

IMAGINÁRiO-Extra – Masterclass VERVE DIGITAL

No próximo dia 18 de Novembro (10h30-16h30), decorrerá na Biblioteca Municipal de S. Domingos de Rana/Bedeteca José de Matos-Cruz, em Cascais, a masterclass de introdução à arte digital Verve Digital, realizada pelos autores Daniel Maia e Susana Resende, a qual será dirigida mais concretamente à produção de banda desenhada.

Esta masterclass perspectiva-se em dois blocos de 2h30, separados por 1h para almoço, tem entrada grátis e é acessível a maiores de 15 anos, porém limitada a 20 pessoas.
Para registar a sua participação, contacte: bsdr@cm-cascais.pt ou 214 815 403/404, ou aceda directamente ao formulário online.